Tuesday, August 25, 2009

Sábios silêncios!


Sábio, muito mais que qualquer palavra… é o silêncio.
Nossos silêncios são quem melhor nos conhece, quem mais sabe de nós. Se amamos, não são necessárias palavras. Os sentimentos revelam-se no silêncio de um olhar, de um beijo, em cada entrega silenciosa. Nenhuma palavra exprimiria com tanta exactidão o que vai em nossos corações. Silêncios que tudo dizem, que nos revelam.
Não só de amor fala o silêncio. Quando, esse mesmo amor amorna, quando se esvai, como água por entre os dedos. Por mais palavras que se diga, que se escute… nenhuma tem o poder, a verdade que o silêncio contém e, é também aqui que o silêncio nos alerta, nos sacode para a nova realidade.
Somos um livro escrito de silêncios. Todos nos lemos, deixando para trás páginas dessa leitura que, por serem tão verdadeiras, por tanto saberem de nós, nos maltratam, nos magoam. Livros, leituras são isso mesmo… é a possibilidade de passar à frente ou voltar atrás, onde o silêncio é preterido em favor das palavras. Palavras que mentem. Mas, que, de tão bonitas que são, criam em nós a ilusão de que o silêncio se cala, que já não o escutamos… leituras num livro escrito de silêncios. De sábios silêncios!


O silêncio que me fala de saudade, de amor, é quem me fala sobre toda a minha realidade. A verdade dos sentimentos, o que represento para quem me rodeia… quais os sentimentos que essas pessoas nutrem por mim. Tudo o que essas mesmas pessoas significam para mim. Não as palavras, só o silêncio tem esse poder, só ele é verdadeiro.
Muitas vezes, floreio meus sentimentos com lindas palavras, tento que falem mais alto, que abafem o som que me ensurdece, que me fere. Palavra colorida que, à semelhança de um jardim perfumado, me deixa a leste de mim mesma. Consciente ou inconscientemente, abafo o segredo que o silêncio me revela. Faço de conta e, até sinto o perfume que exala da palavra. É num recanto escondido que adormeço meus sábios silêncios. Não ignoro que posso retirar-lhe a voz, todos os seus sons, mas, nunca a sua sabedoria!
Fico-me pelas palavras. Sei que mentem, mas, são tão mais bonitas, com elas vivo minha fantasia, aquela, que o silêncio não me permite.
Antónia Serafim
Fonte:

1 comment:

*Adriana* said...

Lindo, profundo e verdadeiro esse texto.
Tenho um selo comemorativo relativo às 2000 visitas em meu blog, passa lá para pegar.

bjs
Adriana